CPOC Online

Formação


Olá pessoal!

Esta semana temos o último texto do Rui sobre o SportIdent, com uma explicação detalhada de como utilizá-lo numa prova. É mais longo que o habitual, mas muito fácil de ler e muito esclarecedor!

Mapeando - Tema 26: O SPORTIDENT E OUTROS CONTROLOS III

Vamos agora ver como utilizar o chip SI durante uma prova.

A primeira coisa a fazer é limpar o chip. Imaginem que o chip é como um armário com prateleiras para registar as passagens pelos diversos pontos. Antes de começar a prova temos de limpar as prateleiras. Esta operação é feita picando a estação denominada 'CLEAR' e pode demorar alguns segundos. Não tenham pressa em retirar o chip da base.

Uma vez feito o clear o chip está pronto para ser utilizado. E ficará pronto para os próximos 30 anos sem problema. Não é necessário fazer um segundo clear para 'ter a certeza', nem fazê-lo 'x' segundos antes do check. Logo podem ignorar os pedidos das pessoas da partida que pedem para fazerem o clear uma segunda vez (eu ignoro sempre).

Depois temos o check. Este passo na realidade não faz nada. Apenas verifica que o chip está realmente limpo. Se a base não apitar, então o clear não funcionou bem e deve ser repetido. Mas se não fizermos o check (e desde que o clear tenha sido bem feito), tudo funcionará na perfeição. Se porventura for necessário comprovar se determinado atleta realmente passou pela partida, então poder-se-á recorrer ao registo do check.

Quem faz escalões open, ou em determinadas provas sem tempos de partida, temos de picar o start. Esta estação especial vai marcar o início da contagem do tempo. Esta estação também vai funcionar como check. Ou seja o start só pica se o clear tiver sido bem feito. Por tanto já sabem, se o start não apitar, então têm de fazer o clear novamente. Isto também quer dizer que a utilização do check não é necessário nos escalões abertos.

Agora começa a prova propriamente dita. Temos de picar nos pontos do nosso percurso. Se picarmos um ponto que não pertence ao nosso percurso não tem mal. Para todos os efeitos ele será ignorado. Se picarmos um ponto fora de ordem, também não é grave. Temos é de voltar a trás e picar os pontos pela ordem correcta (neste caso teremos de picar novamente o ponto em que nos enganámos). Vamos ver um exemplo prático:

+ O percurso tem os pontos 131, 143, 133, 164, 152 e 200
+ Pico o 131 - OK
+ Pico o 175 – É ignorado
+ Pico o 143 – OK
+ Pico o 164 – não está na ordem certa
+ Pico o 133 – OK, estou de volta à ordem correcta
+ Pico o 164 – OK, tenho de repetir a picagem agora na ordem certa
+ Pico o 152 – OK
+ Pico o 200 – OK

Podemos picar pontos a mais e pontos fora de ordem até nos cansarmos que isso não afecta o nosso resultado final (embora estejamos a perder tempo de certeza). Mas lembram-se da analogia das prateleiras quando falámos do clear? Pois o SI tem um número finito de prateleiras. Não me vou alongar (talvez noutra mensagem) mas saibam que o SI versão 5 (aquele que quase todos temos e que é na esmagadora maioria dos casos vermelho) só tem 39 'prateleiras' (1 check + 1 start + 1 finish + 30 registos com tempo + 6 registos sem tempo). Logo se abusarem, depois não vai haver lugar suficiente para os pontos do percurso e vão ser desclassificados. Quando as 'prateleiras' ficarem todas cheias, a base deixa de dar sinal e o chip já não 'pica'.

Depois de picar os pontos todos fica só a faltar picar no finish. Ao picar o finish estamos efectivamente a parar a contagem do tempo.

Para terminar só falta descarregar o chip. É com esta operação que ficamos a saber se picámos os pontos todos e na ordem correcta. Vai também calcular o tempo que demorámos.

Não importa quando vamos descarregar o SI, pois o tempo já parou. Podemos mesmo descarregar o SI só dai a três dias, o tempo será sempre o mesmo. Mas por favor não o façam. O chip deve ser descarregado o mais depressa possível, pois facilita em muito o trabalho da organização. Também é possível descarregar várias vezes, o resultado não será alterado.

Muito obrigado ao Rui por esta explicação, para mim ficou tudo bastante claro.

Fiquem bem,
Alexandre Alvarez