CPOC Online

Formação


Mapeando - Tema 6: O MAPA, CORES E SÍMBOLOS (RESPOSTAS)

Nível 1 (quem tenha feito Orientação de 1 a 10 vezes)

1.1. Temos 2 caminhos. Um caminho representado com um traço contínuo preto, e outro com linha tracejada a preto. Qual dos dois caminhos é mais largo, mais visível e mais transitável?

R: É o caminho representado com um traço contínuo.

1.2. Porque é que uma árvore é considerada especial? (representada com um círculo verde no mapa).

R: É especial por 2 motivos: ou é uma árvore diferente de todas as que a rodeiam, ou é de dimensão maior do que as que estão à volta. (Existe também a representação com este símbolo, para uma árvore que esteja sozinha/isolada, sem outras por perto.

1.3. Como é que eu sei se um muro ou uma vedação são transponíveis, ou seja, que os consigo passar sem dificuldade, olhando apenas para o mapa?

R: Pela representação do símbolo. O muro é um representado a preto por um traço que possui círculos. Se for transponível aparece apenas um círculo de cada vez, ao longo do traço preto. Se for intransponível aparecem dois círculos de cada vez. No caso da vedação, é igual, mas em vez de círculos, aparecem pequenos traços diagonais. Quanto à pergunta feita pelo Vítor que se relacionava com isto, a resposta é que tanto o muro como a vedação intransponíveis são proibidos de saltar, sendo quem for visto a fazê-lo, desclassificado, pois torna-se injusto quando alguns conseguem e outros não.

1.4. Existem no mapa áreas a castanho?

R: Áreas não existem. O que existe a castanho no mapa são linhas (curvas de nível) e símbolos relacionados com o relevo.

1.5. Se eu visualizar no terreno uma área sem árvores, devo ver no mapa essa zona representada a branco ou a amarelo?

R: A amarelo, pois é essa a cor que representa as áreas abertas.

1.6. Se um círculo verde representa uma árvore especial, um círculo azul representa um _________.

R: poço

1.7. O X representa um objecto especial. No entanto ele assume várias cores no mapa (azul, preto, verde e castanho). O que representa esse símbolo (X), em cada uma das cores?
X - objecto especial relacionado com a água (ex: fonte)
X - objecto especial relacionado com algo construído pelo Homem (ex: mesa de piquenique)
X - tronco
X - objecto especial relacionado com o relevo (tem a ver com as características da zona. Ex: pequenos esporões, micro relevo característico)

1.8. O escarpado e a falésia assemelham-se a um pente. O que representam os dentes destes 2 símbolos?

R: Representa o lado que desce.

Nível 2 (quem se considera experiente)

2.1. Se o branco é ausência de cor, porque não é também ausência de árvores?

R: Foi estabelecido há muitos anos que o branco representaria as áreas de floresta, pois o nascimento da Orientação teve lugar na Noruega (e outros países nórdicos) e lá o que mais há são florestas. Por isso para quê gastar tinta?

2.2. Qual a diferença entre buraco (V castanho) e pequena depressão (U castanho)?

R: Não é regra, mas em geral o buraco tem origem artificial e a depressão é uma forma de relevo natural. Ambos representam relevo "para baixo".

2.3. Existem duas tonalidades de amarelo. O amarelo mais escuro pode representar uma área aberta com zonas de vegetação rasteira?

R: Não. Pois o amarelo mais escuro, pressupõe corrida a 100% e a vegetação rasteira indica que a progressão diminui. Portanto não são áreas compatíveis. Se houver vegetação rasteira numa zona aberta, o amarelo base deve ser o mais claro.

3.4. Existem 3 tonalidades de verde, referentes à vegetação. O verde mais claro pode ser uma zona de árvores dispersas com baixa visibilidade?

R: Sim, pode.

3.5. A vegetação rasteira apresenta duas formas (Uma, mais difícil de passar - traços verdes mais juntos; e outra, mais fácil de passar - traços verdes mais afastados). É possível ter em simultâneo, numa zona representada como área alagadiça, vegetação rasteira?

R: Sim. Normalmente nos pântanos existe vegetação rasteira, devido à humidade. Se repararem, os traços de área alagadiça não estão orientados a norte, mas sim na "horizontal".

3.6. Os símbolos de monte de pedras (triângulo equilátero preto) e zona rochosa (triângulo escaleno preto) vêm orientados a norte, nos mapas?

R: O monte de pedras vem sempre orientado a norte e representa um aglomerado de pedras que estão umas em cima das outras formando um monte, localizado num sítio específico. A zona rochosa não vem orientada a norte. E representa uma ÁREA, não um local específico. Significa que onde existem estes triângulos, no mapa, aparece no terreno pedras de dimensão variável que dificultam a corrida nessa área. Cada um desses triângulos (isósceles) NÃO representa uma pedra específica, mas uma área.

3.7. Quantas cores podem representar os meridianos de Norte, num mapa? Que critérios há para essa escolha?

R: As cores mais utilizadas e permitidas são o preto e o azul. O critério tem a ver com a informação que há no mapa. Por exemplo, num mapa com muitos caminhos, convém que os meridianos apareçam a azul.

3.8. Existe a falésia transponível e o escarpado. Como se representa um escarpado em terra intransponível?

R: Mesmo sendo em terra, nesta situação o escarpado é representado como falésia intransponível, ou seja, a preto.

3.9. As curvas de nível não são todas iguais. Porque é que existem curvas de nível Mestras e Intermédias?

R: As curvas de nível mestras são ligeiramente mais grossas que as curvas de nível normais e aparecem de 5 em 5 curvas de nível. Têm como principal função facilitar a observação/interpretação do relevo. Se for um mapa com muito desnível, pode contar-se as curvas de nível de 5 em 5, em vez de ser 1 a 1. As curvas de nível intermédias são representadas a tracejado (castanho), e representam metade da equidistância do mapa em questão. Servem sobretudo para dar mais detalhe no relevo do mapa, já que através delas é possível colocar no mapa detalhes que a equidistância do mapa (normalmente 5 metros) não consideraria. Aparecem aleatoriamente no mapa. No entanto não poderão aparecer duas curvas de nível intermédias, seguidas (sem ter havido pelo meio pelo menos uma curva de nível normal/mestra). As curvas de nível intermédias PODEM não acabar, ou fechar (formando um cume), como acontece com os outros dois tipos de curvas de nível (normais e mestras), que têm OBRIGATORIAMENTE de ter fim.

3.10. O que representa a direcção dos traços verdes de uma vinha? O que significa uma vinha com um traço preto à volta?

R: A direcção dos traços verdes representa a direcção da vinha, ou seja, o sentido da plantação da vinha. Se esta zona de vinha tiver um traço preto é volta, então é porque a vinha é intransponível (normalmente porque está vedada).

Legenda dos símbolos e cores do mapa